Notícias empresariais!

ECONOMIA - Caixa anuncia redução da taxa de juros para financiamento da casa própria

Publicado em 15 de outubro de 2020

A Caixa Econômica Federal anunciou nesta quarta-feira (14) redução na taxa de financiamento da casa própria para pessoa física, com recursos da poupança. O piso passará de 6,5% para 6,25% mais a taxa referencial (TR) ao ano. Já o teto caiu de 8,5% para 8% mais TR. As novas taxas entram em vigor no próximo dia 22 de outubro para novos financiamentos.

Durante o anúncio, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, fez uma simulação de um financiamento de R$ 200 mil em 30 anos.

Especialista fala sobre os pagamentos de taxas ao comprar casa própria

Se fosse levada em conta a taxa cobrada em dezembro de 2018, que era a TR mais 8,75%, a prestação inicial estaria em R$ 1.958,48. A partir de agora, será de R$ 1.568,52, queda de 25% em relação à taxa daquele ano. Pela taxa IPCA mais 2,95%, que o banco passou a oferecer em agosto de 2019, a prestação seria de R$ 1.040,70, queda de 46% em relação à taxa de 2018.

O banco estima conceder mais de R$ 14 bilhões em crédito imobiliário com uso de recursos da poupança até o fim deste ano.

 

Renovação da pausa na prestação

 

A Caixa anunciou ainda a renovação da pausa de 6 meses nas prestações da casa própria para contratações até 30 de dezembro deste ano. Essa prorrogação valerá para novos contratos destinados ao financiamento de imóveis novos.

Assim, os clientes pessoas físicas poderão iniciar o pagamento do encargo mensal, composto de juros e amortização, após seis meses da contratação, mas apenas para aquisição de imóveis novos. Nesse período, eles pagarão seguros e taxa de administração do contrato.

A Caixa prevê que mais de 30 mil clientes serão beneficiados até o fim do ano.

 

Pagamento parcial das prestações

 

Outra medida anunciada foi o pagamento parcial da prestação para apoiar famílias com dificuldade para retomar o pagamento integral do encargo mensal. Haverá duas possibilidades:

 

  • pagar 75% da prestação por até 6 meses
  • pagar entre 50% e 75% da prestação por até 3 meses

 

Essas opções estarão no aplicativo Habitação da Caixa. Mais de 620 mil clientes poderão ser beneficiados com a medida, segundo a Caixa.

 

Feirão da casa própria será virtual

 

Pedro Guimarães informou que a Caixa Econômica realizará este ano o feirão da casa própria em formato virtual neste mês e novembro por causa da pandemia. Segundo ele, o banco espera atender ao público com as novas medidas anunciadas.

 

Crédito habitacional online

 

A partir de 19 de outubro, a Caixa oferecerá a possibilidade de contratar o financiamento imobiliário pelo aplicativo Caixa Habitação. O app está disponível para os sistemas operacionais Android e iOS e pode ser baixado gratuitamente nas lojas Google Play ou App Store. O cliente só precisará ir à agência para assinar o seu contrato.

 

R$ 500 bilhões em crédito

 

As medidas foram anunciadas após o banco atingir em outubro a marca histórica de R$ 500 bilhões na carteira para o crédito imobiliário. No total, são 5,6 milhões de contratos.

O crescimento foi de 13,4% em relação a janeiro de 2019, quando foi alcançado o total de R$ 441 bilhões.

Com esses números, a Caixa passou a ter participação de 69,3% no mercado imobiliário, sendo que para as classes mais baixas, a participação é de 97,4%.

Entre janeiro de 2019 e setembro de 2020, foram destinados pelo banco R$ 172 bilhões para o crédito imobiliário, atingindo o total de 2,8 milhões de pessoas.

Em agosto, 44,9% dos contratos de financiamento da casa própria foram feitos por meio dos recursos da poupança (SBPE). Entre janeiro e agosto deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado, o aumento na modalidade de empréstimo com recursos da poupança foi de 102,7% - de R$ 14,51 bilhões para R$ 29,4 bilhões.

Entre as razões para esse aumento estão taxas de juros pelo IPCA e uma taxa fixa para o financiamento, implantação da carência de 6 meses para pagamento das prestações por causa da pandemia e financiamento das despesas com cartório e ITBI.

 

 

Fonte: G1

Voltar a listagem de notícias